Uso de colete postural pode prejudicar sua coluna

Quando se fala em melhorar a postura, alguns pensam em fazer uso de colete ou cinta estabilizadora, ou faz o uso dos mesmos quando já tem alguma patologia e dor na coluna.

Saibam que essa atitude pode acabar prejudicando ainda mais sua condição patológica ou de dor, e ainda, gerar comprometimentos futuros para a coluna vertebral.

col-putti-2

colete_de_corre_o_postural_feminino_2072_macom

posture_correction_vest

Mas porque isso acontece?

A coluna vertebral é composta por 4 regiões, Cervical, Dorsal, Lombar e Sacrococcigea. Possui  músculos que garantem a estabilização e movimento da mesma.

A má postura do dia-a-dia, gera desconforto, dores e até mesmo desvios posturais, muitas das vezes irreversíveis.

O uso prolongado do colete ou cinta postural, principalmente sem indicação médica, diminui a ação dos músculos que estabilizam a coluna, deixando-os mais fracos, ou seja “preguiçosos”, pois existe um componente fazendo seu trabalho. Com a musculatura mais fraca, a coluna fica mais vulnerável a lesões e/ou potencializa a dor que já existe.

Quando deve ser utilizado?

Essas órteses (coletes, cintas, camisetes) são indicados em casos  de fratura da coluna, onde a imobilização deve ser mantida; em casos de escoliose em crianças para ajudar na correção do desvio postural; em casos isolados de dores fortes na coluna, mas deve ser usado por indicação médica e respeitando o tempo necessário. Portanto, mesmo que sinta conforto com o uso dessas órteses, não o faça por tempo prolongado e  sem orientações, pois você pode estar agravando sua condição corporal.

Para maiores informações:

Cristiane Arruda
Fisioterapeuta – Flexibile
arcristiane@yahoo.com.br

FISIOTERAPIA DOMICILIAR

Fisioterapia Domiciliar

  • Fisioterapia Ortopédica
  • Fisioterapia Pós AVC, Mal de Parkinson e Mal de Alzheimer
  • Fisioterapia Geriátrica
  • Drenagem Linfática pré e pós cirúrgica
  • Eletroterapia (TENS, Ultrassom e Laser)
  • Crochetagem
  • Ventosaterapia
  • Terapia Manual e liberação miofascial (muscular)
  • Cinesioterapia
  • Pilates solo
  • Acupuntura

Marque uma avaliação:

  • tel: 98675-9181 (whatsapp)
  • email: arcristiane@yahoo.com.br

Lesões causadas por Smartphones

O avanço da tecnologia nos traz conforto, praticidade e comodidade, mas pode custar caro. E não falo do custo para ter os aparelhos, falo das lesões que esses podem trazer pelo uso excessivo e de forma incorreta.

Especialistas alertam que o uso cada vez mais frequente de smartphones, está provocando o aparecimento de novas lesões nas mãos de seus usuários, pois exige uma movimentação maior do dedo polegar, o que pode gerar lesões conhecidas como textingtendinitis. O termo é tão novo e desconhecido que ainda não foi traduzido para o português.

Uma pesquisa canadense, conduzida pela Universidade de Waterloo, que avaliou a interferência do smartphone na saúde das mãos, em 2011. Dos 140 usuários do telefone analisados, 84% apresentavam dores nas mãos – e os polegares eram os mais atingidos. O abuso no uso do aparelho também pode estar relacionado a quadros de estresse. Um estudo publicado pela Sociedade de Fisioterapeutas do Reino Unido concluiu, ao analisar 2.010 profissionais, que quase dois terços das pessoas continuam trabalhando no caminho de volta do trabalho ou em casa por meio de aparelhos como o smartphone e tablets: foram, em média, duas horas extras por dia.

A articulação mais atingida é a carpo metacarpiana do polegar, devido o acionamento dos comandos na tela ocorre um excesso de atrito do movimento circular deste dedo, gerando microlesões nos tendões e resultando em inflamações. O dedo acaba enfrentando um ritmo maior do que foi feito para enfrentar.

Mas existem outras regiões que também sofrem, como a cervical (cabeça e pescoço) devido o posicionamento para levar o olhar à tela;  o punho e a mão que dão suporte ao equipamento, ou seja, que seguram o tablet ou o smartphone, por exemplo.

As consequências pelo uso constante destes equipamentos podem se traduzir em lesões por esforço repetido,  a famosa LER, e ainda, a hérnia de disco cervical, ambas, incapacitantes. Se não cuidadas em tempo, poderão se transformar em lesões irreversíveis que necessitam de exames, tratamentos onerosos e cirurgias.

Para evitar tais problemas aí vão algumas dicas:

  • Se não houver necessidade imediata de comunicação por mensagem, deixe para usar no teclado do computador que é sempre melhor;
  • Evite digitar com a mesma mão que segura o celular,  apoie-o;
  • Alterne o uso com o dedo indicador (sem excesso para não causar lesões nesse dedo também);
  • Ative o sistema que “adivinha”o que você vai escrever;
  • Mantenha postura correta dos braços, pescoço e ombros;
  • Em caso de necessidade do uso excessivo destes aparelhos, procurar profissionais que orientem nos exercícios que fortaleçam e alonguem as mãos e outras regiões do corpo;
  • Se não houver necessidade do uso excessivo, evite!
     
    Cristiane Arruda – Fisioterapeuta Flexibile 

Mitos e Verdades sobre Pilates!!

“A prática do Pilates se renova e atrai cada vez mais pessoas, mas ainda existem questões a serem discutidas e dúvidas a serem esclarecidas. Com a certeza de que os músculos devem ser fortes e flexíveis para se manterem bonitos e saudáveis, o Pilates fortalece os músculos fracos, alonga os músculos que estão encurtados e aumenta a mobilidade das articulações. Movimentos fluentes são feitos sem pressa e com muito controle para evitar estresse. O alinhamento postural é importante em cada exercício, ajudando na melhora da postura global do indivíduo.

Assim, a força, a tonificação e o alongamento são trabalhados de dentro para fora do corpo, tornando-o forte, bonito, saudável, harmonioso e elegante.”

MÚSCULOS SIM, MAS SEM VOLUME:

O pilates não substitui a musculação e vice-versa. Mas quem faz pilates se sente mais bem preparado física e mentalmente para qualquer atividade comum do dia a dia, a prática de esportes, e ainda protegido contra lesões. O pilates valoriza a qualidade do movimento, não a quantidade.  A técnica confere tônus muscular pois trabalha com exercícios de resistência, com carga, que pode ser o próprio peso, como nas séries no solo, ou a resistência das molas dos aparelhos. Há também pequenos acessórios (elásticos, bolas, bosu etc) que exercem essa função. Mas sem excessos, sem priorizar uma parte do corpo em detrimento de outra. O pilates visa ao equilíbrio entre o tônus e o alongamento, mantendo a elasticidade e a amplitude dos movimentos e ainda deixa o corpo seco e durinho. Mas não espere um tônus de quem pratica treinamento de força.

Corpo seco e durinho

PREVENÇÃO DE LESÕES:

O pilates fortalece a musculatura mais profunda, o core, a área do tronco e da pelve envolvida na estabilização da coluna; que não é o foco da musculação, ocore bem trabalhado previne lesões. Para fortalecer e definir o abdômen não é preciso se acabar em séries de dezenas de abdominais. E que poucas repetições com alto grau de qualidade são suficientes para trabalhar essa região.

MELHOR CONCENTRAÇÃO:

É verdade que o pilates treina a concentração. Como os exercícios no solo e nos aparelhos exigem grande concentração, o treino termina sendo bom para o dia a dia e no trabalho.

Concentração

ALÍVIO DE DORES:

A técnica previne e trata dores, além de corrigir desvios posturais acentuados, como hiperlordose e hipercifose (a corcunda). Um dos motivos, é que o indivíduo aprende a corrigir sua postura, a tirar o peso dos calcanhares e da coluna, levando-o mais a frente, mudando seu centro de gravidade para o abdômen. Até mesmo nos casos de hérnia de disco há benefícios, desde que o médico libere. Os praticantes sentem grande alívio de sintomas e ganham mobilidade. Nas situações mais graves, combinam-se outras técnicas de fisioterapia.

BAIXO RISCO:

Apesar do esforço, o pilates tem baixo risco de acidentes e lesões na execução do exercícios. Tanto que ele é indicado para gestantes, pois quase não há impacto nos movimentos e se trabalha muito a musculatura abdominal e pélvica, o que ajuda a preparar para o parto. E após o nascimento do bebê o método ajuda a recuperar e reativar a musculatura, que já teve alunas que fizeram aula até o dia do parto e retornaram pouco tempo depois. Na opinião de especialistas, o pilates não tem contra indicações desde que a pessoa esteja apta a praticá-lo. Porém alerta que nem todos se adaptam ao método porque os exercícios são executados lentamente num ambiente tranquilo. O ideal é associar a outras atividades para melhor condicionamento.

Pilates em Gestantes

IDADE PARA COMEÇAR:

Existem aulas voltadas para o público infantil, a partir dos 7 anos. E não há limite de idade para iniciar. O programa é adaptado a cada aluno, mesmo em grupo, no máximo três por sessão.

PRIMEIROS RESULTADOS:

Iniciantes devem ter paciência para alcançar os primeiros resultados, pelo menos um mês.  Na primeira aula a pessoa já percebe se vai gostar ou se adaptar ao método. Os exercícios são lentos e o objetivo é a excelência do movimento. Há vários níveis, incluindo básico, intermediário e avançado, e não necessariamente é preciso mudar de fases, como num jogo de computador. É mais importante ter bom senso, e se exercitar corretamente.

PILATES NÃO EMAGRECE:

O pilates não é uma ginástica aeróbica como corrida, natação, caminhada e spinning. Os alunos em estágio avançado têm maior habilidade e experiência na execução dos exercícios, que podem ser feitos num ritmo mais dinâmico, sem pausas, o que estimula o condicionamento cardiovascular. Mas nada que se equipare aos treinos aeróbios.

FREQUÊNCIA CERTA:

O pilates pode ser praticado todos os dias, mas a grande maioria dos alunos faz duas ou três vezes por semana, antes é preciso passar por uma avaliação cuidadosa. O importante é que o programa seja individualizado, porque algumas pessoas têm mais dificuldade do que outras, ou lesões prévias ou encurtamentos. Muitos professores associam os exercícios de solo, com bolas e elásticos, aos aparelhos tradicionais.

Sala de Pilates aparelhos e acessórios

Fonte: Globo Saúde 2010

Cristiane Arruda- Fisioterapeuta da Flexibile Wellness

Fisioterapia Domiciliar

Realizo atendimento domiciliar na áreas:

  • Fisioterapia
  • Drenagem Linfática corporal e facial
  • RPG
  • Exercícios terapêuticos
  • Atendimento ao idoso, gestante, AVE, cirurgias ortopédicas
  • Atendimento em Dor Crônica

->Utilizo recursos de terapia manual e eletroterápicos

Contatos:
Tel: 8675-9181
email: cristianearruda@flexibile.com.br
____________________________________________________
Dra Cristiane Arruda
Fisioterapeuta
CREFITO2: 132194F

Pratique Atividade Física que você mais gosta!

Sabemos que somos muito exigidos no nosso dia-a-dia, estudamos horas e horas, às vezes passamos a noite em claro, trabalhamos muitas horas por dia e no final de semana ainda participamos das f…estas de nossa sociedade. Para suportar este estresse diário, temos um poderoso aliado: os exercícios físicos. Praticando uma atividade física, teremos mais qualidade de vida, nossas atividades fluirão melhor e de forma mais prazerosa.

Os exercícios físicos trazem harmonia, condicionamento, sociabilidade e rendimento. É importante que você encontre uma atividade que lhe trará prazer em realizar, não adianta fazer musculação, por exemplo, se você não suporta ir a academia, não se sente bem com o ambiente, não fica a vontade com os exercícios. Isso só resultará em desistência da atividade e mais sedentarismo.

Escolha aquilo que você gosta e que sempre quis fazer, mas nunca consegue, não precisa seguir o que está na moda ou o que lhe indicaram só porque acham que é o correto. Pode começar calmamente: caminhada, correr, pedalar, musculação, Pilates, aulas de alongamentos, Yoga, dança, esportes, hidroginástica, jump, peteca na praia, enfim, mexa-se! O importante é que pelo menos 3 vezes por semana, encontre tempo e disposição, e por 20 minutos. Mas se não der, faça o mínimo possível!

Subir e descer escadas, andar muito durante o trabalho ou na rua, pegar peso, NÃO são atividades físicas regulares. São esforços e atividades de vida diária, que não irão condicionar, ao contrário poderão trazer lesões, dores, fraquezas musculares, encurtamentos musculares, degenerações articulares, desvios posturais e etc.

Importante ressaltar que o nosso corpo no início de um programa de qualquer atividade física, sentirá os efeitos do sedentarismo, ou melhor, exigido em esforços não habituais, o corpo sentirá dor, que passará com a rotina dos exercícios. A atividade física é tão boa para o nosso corpo, que ele sentirá falta, tornando-se assim um ritual.

Procure um profissional que possa lhe orientar sobre os benefícios e malefícios das atividades físicas que queira seguir. Só não fique parado, cuide do seu corpo!

Drª Cristiane Arruda – Fisioterapeuta

As Inflamações Musculoesqueléticas

Capsulite

A cápsula é uma membrana de tecido conjuntivo que circunda as articulações do tipo sinoviais.  Possui duas camadas, uma fibrosa na parte externa que é bastante resistente e outra interna bem vascularizada e inervada, que produz o líquido sinovial, chamada membrana sinovial.

A Capsulite significa uma inflamação nesse tecido. A causa normalmente é a fraqueza muscular que resulta na perda de movimento de uma articulação. Quando uma articulação do corpo não se movimenta dentro da amplitude normal durante um período apreciável, esse tecido conjuntivo torna-se menos elástico e maleável, ou seja, rígido restringindo o movimento (muito comum no ombro).  Ao movimentar a articulação forçadamente o paciente apresentará uma dor aguda imediata e o corpo produzirá uma resposta de inflamação, normalmente acompanhada de edema.

Sinovite

A Membrana Sinovial é uma fina camada de tecido conjuntivo que tem função de revestimento das estruturas como tendões, cápsulas articulares e bursas sinoviais.

 Sinovite é uma inflamação do tecido que reveste a parte interna das articulações, chamado tecido sinovial. Quando a articulação, o tendão ou a bursa sinovial sofrem algum trauma ou micro traumatismos de repetição, ou até mesmo, estímulos infecciosos, metabólicos ou humorais, a tendência é aumentar a produção de líquido sinovial na tentativa de diminuir o estresse para facilitar o movimento. Essa produção excessiva do lubrificante leva a um estado de inflamação do tecido sinovial, que vai gerar uma inflamação na articulação provocando dor ao movimentá-la e edema no local. É muito comum apresentar o cisto sinovial na região onde há excesso de produção do líquido.

Tendinite e Tenossinovite (Tendinopatia)

Os tendões são estruturas resistentes de tecido conjuntivo fibroso que  conectam os músculos  aos ossos. É responsável por mover as articulações do corpo quando ocorre a transmissão de força da contração muscular. São constituídos por uma bainha de tecido sinovial, cuja composição é similar à que reveste o interior das cápsulas das articulações, de modo a evitar ou atenuar os atritos com outras estruturas que atravessam ou com as quais estão em contato.

 A inflamação de um tendão é um problema comum, muitas vezes associado à inflamação da sua bainha, daí o termo Tenossinovite. As causas podem ser micro traumatismos repetidos (DORT) ou por movimentos bruscos e um pouco forçados de uma determinada parte do corpo. Problemas metabólicos deixam o tendão frágil, mais propenso a inflamação. Ainda pode ocorrer a entesite que é um processo inflamatório da entese (zona de inserção de um músculo).

Fig1:Tendinite; Fig2: Entesite

Osteoartrite

A osteoartrite ou artrose é uma doença crônica das articulações e eventualmente dos elementos periarticulares, caracterizada pela degeneração da cartilagem e do osso subcondral, que pode causar dor articular e rigidez e redução da funcionalidade articular. As causas podem ser obesidade, esforços físicos repetitivos, consequência de traumas, doenças reumatológicas inflamatórias, necrose óssea, injeções intra-articulares repetidas de cortisona, doenças congênitas do esqueleto, doenças metabólicas e endócrinas, e de enfermidades em que haja comprometimento dos nervos periféricos, por exemplo.

Bursite

 A Bursite é a inflamação da bursa, pequena bolsa contendo líquido que envolve as articulações e funciona como amortecedor entre ossos, tendões e tecidos musculares. A bursite ocorre principalmente nos ombros, cotovelos e joelhos. Os sintomas mais comuns da bursite são dor, edema, inflamação e restrição de movimento. As causas da bursite variam em traumatismos, infecções, lesões por esforço, uso excessivo das articulações, movimentos repetitivo e a artrite.

Fascite

A fáscia é uma membrana de tecido conjuntivo fibroso de proteção, em circunstâncias normais ela deve ser flexível e deslizante. No entanto através de traumatismos, processos inflamatórios, más posturas, cirurgias, stress, etc., criam-se restrições e aderências  entre esta e os tecidos vizinhos o que faz com que ela se torne mais sólida e dessa forma encurte as fibras fasciais, o que cria pressão em áreas sensíveis, provocando dor e restrições de movimento.

A Fascíte é uma síndrome degenerativa da fáscia ou aponeurose mais comum na região plantar, decorrente de microtraumatismos de repetição na inserção. Essas forças compressivas na origem da fáscia (calcâneo) fazem com que aconteçam microrupturas causando inflamação, que é acelerada pela falta de flexibilidade no tendão do calcâneo, excesso de treino, fadiga, etc…

 

As inflamações agudas músculo-esqueléticas são caracterizadas por dor, calor, rubor e restrição de movimentos. Geralmente são causadas por estímulo mecânico ou metabólico, ou ainda, não apresentar causa definida (insidiosa). Em casos mais graves pode-se optar por cirurgias, porém o mais recomendado é o tratamento conservador através de medicação e fisioterapia.

Ao menor sinal de dor com ou sem causa aparente procure um especialista, não deixe ficar crônico, pois o tratamento pode ser mais demorado e mais caro.

Até a próxima!

Cristiane Arruda

Matéria revista Nestlé: OS CAMINHOS PARA UMA BOA POSTURA

Pessoal, participei de uma matéria da revista Nestlé sobre Postura, segue o texto para que vocês possam ler.

Uma postura adequada proporciona boa funcionalidade ao corpo, pois promove movimentos eficientes e com mais resistência, contribuindo para uma sensação de bem-estar. Por outro lado, a má postura pode causar maior tensão muscular em determinadas partes do corpo, gerando dor e até mesmo alteração da posição e função dos órgãos.

A fisioterapeuta Cristiane Arruda* conta que o primeiro passo para adotar uma postura adequada é conhecer sua própria postura. “É importante que o indivíduo procure um especialista, pois o profissional é capaz de fazer a avaliação e informar as correções individuais adequadas ou realizar um tratamento de reeducação postural. Após as orientações, a pessoa deverá praticar a postura correta, seja em pé, sentada ou deitada”.

Cristiane ressalta que, ao contrário da opinião popular, sentar-se ereto não realiza sempre o objetivo. Quando feito de forma inapropriada, pode causar tensão desnecessária nos músculos das costas e complicações adicionais.

A prática de exercícios físicos é extremamente útil para auxiliar na melhora da força, do tônus muscular postural e da flexibilidade, assim como no fortalecimento dos ossos e das articulações. Mas é fundamental que os exercícios sejam orientados e supervisionados por profissionais, com o objetivo de evitar lesões.

Seguem algumas dicas da fisioterapeuta para a prática da boa postura em atividades cotidianas e a prevenção de tensão e lesões.

  • – Segure o telefone com a mão, sem apoiar no ombro.
  • – O monitor do computador deve ser mantido na altura dos olhos, com o queixo paralelo ao chão.
  • – Apoie o antebraço na mesa ao utilizar o mouse.
  • – Flexione os joelhos sempre que for agachar para pegar um objeto no chão. – Alterne a bolsa entre os ombros e deixe-a o mais leve possível.
  • – Mantenha o peso adequado.
  • – Pratique exercícios regularmente, sempre sob a orientação de um profissional.
  • – Caminhe mantendo a cabeça ereta, com o queixo paralelo ao chão, permitindo que os braços balancem naturalmente. Os pés devem permanecer apontados na direção em que você caminha.
  • – Use sapatos confortáveis, evitando salto alto por longos períodos.
  • – Durma em um colchão firme e com um travesseiro que mantenha a curva cervical normal.
Cristiane Arruda é fisioterapeuta, pós-graduada em Traumato-Ortopedia com ênfase em Terapias Manuais pela Universidade Católica de Petrópolis. Atua como sócia-diretora da Clínica Flexibile Fisio e como fisioterapeuta do Centro Multidisciplinar da Dor, realizando tratamentso em pacientes com dores crônicas.

Fisioterapia Domiciliar

Realizo atendimento domiciliar na áreas:

  • Fisioterapia
  • Drenagem Linfática
  • Estética Corporal e Facial
  • RPG
  • Exercícios terapêuticos (Pilates solo)
  • Atendimento ao idoso, pós AVE, cirurgias ortopédicas, Parkinson e Alzheimer
  • Atendimento em Dores Crônicas
  • Acupuntura

->Utilizo recursos de terapia manual e eletroterápicos

->Ligue e saiba sobre pacotes promocionais!!

Contatos:
Tel: 98675-9181 (WhatsApp)
email: arcristiane@yahoo.com.br
____________________________________________________
Dra Cristiane Arruda
Fisioterapeuta
CREFITO2: 132194F

Joanete – Hálux Valgo

O joanete é uma saliência óssea formada na base da articulação do primeiro dedo do pé, chamada de 1ª metatarsofalangeana. É uma condição anormal, onde ocorre um desvio em direção aos outros dedos, chamamos essa alteração postural de Hálux Valgo. A pessoa costuma relatar desconforto e dor.

Causas:

Toda condição que altera a marcha adequada (fisiológica) pode desencadear o joanete. Quando ocorre um desequilíbrio das forças exercidas sobre as articulações dos pés, pode levar a uma sobregarga  na articulação principalmente na primeira (dedão-hálux), onde é realizada a impulsão do seu corpo na hora de caminhar e correr. Com isso o pé precisará de alargar sua base para sustentar a sobrecarga, isso provocará uma deformidade do dedo, que se desenvolve ao longo do tempo por causa do movimento anormal e pressão que são realizados na articulação.

Os fatores mais comuns incluem tipos de pé (pé plano, chato, largo),  uso de sapatos apertados (tipo scarpin, bico fino) e deformidades que estão presentes ao nascimento. Outra causa comum é a  artrite, tanto a degenerativa ou inflamatória, que causa deformidade d articulação pelo desgaste da cartilagem.

Sintomas:

O joanete pode apresentar dor suave ou grave e dificuldade de andar com sapatos normais. A pele, assim como os tecidos mais profundos, que estão presentes em todo o joanete podem ficar inflamados e/ou inchados. Além disso, os outros dedos também podem ser afetados pela pressão do dedão empurrando em direção a eles. As unhas também começam a crescer para os lados e  os dedos menores também podem desviar-se, sendo conhecido como martelo.


Tratamento:

Pode ser conservador através de Fisioterapia, compressa de gelo para dimuir a dor e inchaço, medicamentos precritos pelo médico, palmilhas e afastadores para aliviar a compressão.

Nos casos mais avançados o tratamento pode ser cirurgico. A cirurgia realizará a remoção do tecido inchado em torno da articulação do dedo, realinhando-o, remove uma parte do calo ósseo, realinha o osso metatarso, a fim de reduzir a sua deformidade angular.

A cirurgia geralmente não é recomendada, a menos que o joanete esteja causando muita dor e/ou incapacidade funcional. É importante saber que sem uma recuperação adequada, para reestabelecer e educar a estrutura muscular do corpo, o joanete pode voltar. Por isso é recomendável  tentar o tratamento conservador antes de realizar a cirurgia.

Fisioterapia:

Sabendo que o hálux valgo desenvolve-se pela sobrecarga gerada por um desequilibrio biomecânico causado pela desestruturação mucular de todo o corpo, a Fisioterapia tem o papel de fornecer equilibrio muscular para a tentativa de correção dessa alteração postural. Porém em casos mais graves o nosso trabalho é focado no alívio dos sintomas gerados.

Fortalecimento muscular, principalmente do músculo Tibial Posterior para levantar o arco plantar e do Abdutor do Hálux para realinha-lo. Trabalho de conscientização corporal e do movimento. Pode-se utilizar mobilizações articulares e bandagens funcionais para propriocepção, no realinhamento do hálux e alivio das dores.

 Procure orientação Médica e de um Fisioterapeuta ao menor sinal dos sintomas. Não deixe que o quadro se instale e se torne crônico.

Cristiane Arruda-Fisioterapeuta