As Inflamações Musculoesqueléticas

Capsulite

A cápsula é uma membrana de tecido conjuntivo que circunda as articulações do tipo sinoviais.  Possui duas camadas, uma fibrosa na parte externa que é bastante resistente e outra interna bem vascularizada e inervada, que produz o líquido sinovial, chamada membrana sinovial.

A Capsulite significa uma inflamação nesse tecido. A causa normalmente é a fraqueza muscular que resulta na perda de movimento de uma articulação. Quando uma articulação do corpo não se movimenta dentro da amplitude normal durante um período apreciável, esse tecido conjuntivo torna-se menos elástico e maleável, ou seja, rígido restringindo o movimento (muito comum no ombro).  Ao movimentar a articulação forçadamente o paciente apresentará uma dor aguda imediata e o corpo produzirá uma resposta de inflamação, normalmente acompanhada de edema.

Sinovite

A Membrana Sinovial é uma fina camada de tecido conjuntivo que tem função de revestimento das estruturas como tendões, cápsulas articulares e bursas sinoviais.

 Sinovite é uma inflamação do tecido que reveste a parte interna das articulações, chamado tecido sinovial. Quando a articulação, o tendão ou a bursa sinovial sofrem algum trauma ou micro traumatismos de repetição, ou até mesmo, estímulos infecciosos, metabólicos ou humorais, a tendência é aumentar a produção de líquido sinovial na tentativa de diminuir o estresse para facilitar o movimento. Essa produção excessiva do lubrificante leva a um estado de inflamação do tecido sinovial, que vai gerar uma inflamação na articulação provocando dor ao movimentá-la e edema no local. É muito comum apresentar o cisto sinovial na região onde há excesso de produção do líquido.

Tendinite e Tenossinovite (Tendinopatia)

Os tendões são estruturas resistentes de tecido conjuntivo fibroso que  conectam os músculos  aos ossos. É responsável por mover as articulações do corpo quando ocorre a transmissão de força da contração muscular. São constituídos por uma bainha de tecido sinovial, cuja composição é similar à que reveste o interior das cápsulas das articulações, de modo a evitar ou atenuar os atritos com outras estruturas que atravessam ou com as quais estão em contato.

 A inflamação de um tendão é um problema comum, muitas vezes associado à inflamação da sua bainha, daí o termo Tenossinovite. As causas podem ser micro traumatismos repetidos (DORT) ou por movimentos bruscos e um pouco forçados de uma determinada parte do corpo. Problemas metabólicos deixam o tendão frágil, mais propenso a inflamação. Ainda pode ocorrer a entesite que é um processo inflamatório da entese (zona de inserção de um músculo).

Fig1:Tendinite; Fig2: Entesite

Osteoartrite

A osteoartrite ou artrose é uma doença crônica das articulações e eventualmente dos elementos periarticulares, caracterizada pela degeneração da cartilagem e do osso subcondral, que pode causar dor articular e rigidez e redução da funcionalidade articular. As causas podem ser obesidade, esforços físicos repetitivos, consequência de traumas, doenças reumatológicas inflamatórias, necrose óssea, injeções intra-articulares repetidas de cortisona, doenças congênitas do esqueleto, doenças metabólicas e endócrinas, e de enfermidades em que haja comprometimento dos nervos periféricos, por exemplo.

Bursite

 A Bursite é a inflamação da bursa, pequena bolsa contendo líquido que envolve as articulações e funciona como amortecedor entre ossos, tendões e tecidos musculares. A bursite ocorre principalmente nos ombros, cotovelos e joelhos. Os sintomas mais comuns da bursite são dor, edema, inflamação e restrição de movimento. As causas da bursite variam em traumatismos, infecções, lesões por esforço, uso excessivo das articulações, movimentos repetitivo e a artrite.

Fascite

A fáscia é uma membrana de tecido conjuntivo fibroso de proteção, em circunstâncias normais ela deve ser flexível e deslizante. No entanto através de traumatismos, processos inflamatórios, más posturas, cirurgias, stress, etc., criam-se restrições e aderências  entre esta e os tecidos vizinhos o que faz com que ela se torne mais sólida e dessa forma encurte as fibras fasciais, o que cria pressão em áreas sensíveis, provocando dor e restrições de movimento.

A Fascíte é uma síndrome degenerativa da fáscia ou aponeurose mais comum na região plantar, decorrente de microtraumatismos de repetição na inserção. Essas forças compressivas na origem da fáscia (calcâneo) fazem com que aconteçam microrupturas causando inflamação, que é acelerada pela falta de flexibilidade no tendão do calcâneo, excesso de treino, fadiga, etc…

 

As inflamações agudas músculo-esqueléticas são caracterizadas por dor, calor, rubor e restrição de movimentos. Geralmente são causadas por estímulo mecânico ou metabólico, ou ainda, não apresentar causa definida (insidiosa). Em casos mais graves pode-se optar por cirurgias, porém o mais recomendado é o tratamento conservador através de medicação e fisioterapia.

Ao menor sinal de dor com ou sem causa aparente procure um especialista, não deixe ficar crônico, pois o tratamento pode ser mais demorado e mais caro.

Até a próxima!

Cristiane Arruda

Anúncios

Matéria revista Nestlé: OS CAMINHOS PARA UMA BOA POSTURA

Pessoal, participei de uma matéria da revista Nestlé sobre Postura, segue o texto para que vocês possam ler.

Uma postura adequada proporciona boa funcionalidade ao corpo, pois promove movimentos eficientes e com mais resistência, contribuindo para uma sensação de bem-estar. Por outro lado, a má postura pode causar maior tensão muscular em determinadas partes do corpo, gerando dor e até mesmo alteração da posição e função dos órgãos.

A fisioterapeuta Cristiane Arruda* conta que o primeiro passo para adotar uma postura adequada é conhecer sua própria postura. “É importante que o indivíduo procure um especialista, pois o profissional é capaz de fazer a avaliação e informar as correções individuais adequadas ou realizar um tratamento de reeducação postural. Após as orientações, a pessoa deverá praticar a postura correta, seja em pé, sentada ou deitada”.

Cristiane ressalta que, ao contrário da opinião popular, sentar-se ereto não realiza sempre o objetivo. Quando feito de forma inapropriada, pode causar tensão desnecessária nos músculos das costas e complicações adicionais.

A prática de exercícios físicos é extremamente útil para auxiliar na melhora da força, do tônus muscular postural e da flexibilidade, assim como no fortalecimento dos ossos e das articulações. Mas é fundamental que os exercícios sejam orientados e supervisionados por profissionais, com o objetivo de evitar lesões.

Seguem algumas dicas da fisioterapeuta para a prática da boa postura em atividades cotidianas e a prevenção de tensão e lesões.

  • – Segure o telefone com a mão, sem apoiar no ombro.
  • – O monitor do computador deve ser mantido na altura dos olhos, com o queixo paralelo ao chão.
  • – Apoie o antebraço na mesa ao utilizar o mouse.
  • – Flexione os joelhos sempre que for agachar para pegar um objeto no chão. – Alterne a bolsa entre os ombros e deixe-a o mais leve possível.
  • – Mantenha o peso adequado.
  • – Pratique exercícios regularmente, sempre sob a orientação de um profissional.
  • – Caminhe mantendo a cabeça ereta, com o queixo paralelo ao chão, permitindo que os braços balancem naturalmente. Os pés devem permanecer apontados na direção em que você caminha.
  • – Use sapatos confortáveis, evitando salto alto por longos períodos.
  • – Durma em um colchão firme e com um travesseiro que mantenha a curva cervical normal.
Cristiane Arruda é fisioterapeuta, pós-graduada em Traumato-Ortopedia com ênfase em Terapias Manuais pela Universidade Católica de Petrópolis. Atua como sócia-diretora da Clínica Flexibile Fisio e como fisioterapeuta do Centro Multidisciplinar da Dor, realizando tratamentso em pacientes com dores crônicas.