FISIOTERAPIA DOMICILIAR

437726019334331

  • Fisioterapia Ortopédica e Reumatológica
  • Fisioterapia Pós AVC, Mal de Parkinson e Mal de Alzheimer
  • Fisioterapia em Idosos
  • Drenagem Linfática (pré e pós cirúrgica)
  • Eletroterapia (TENS e Ultrassom)
  • Crochetagem/Técnica do Gancho
  • Terapia Manual, Liberação Miofascial (Tensões Musculares)
  • Cinesioterapia
  • Acupuntura

Marque uma avaliação:

  • Cel / WhatsApp: 98675-9181
  • Email: arcristiane@yahoo.com.br

Atenção à postura!!!

A má postura pode causar diversos problemas à saúde, desde alterações músculo esqueléticas até mesmo respiratórias. Quem nunca sentiu uma dorzinha nas costas? Normalmente, esses problemas são decorrentes da postura incorreta. Muitas vezes, a má-postura é incorporada inconscientemente, a pessoa vai se acostumando a usar o corpo de forma errada e não percebe. O fisioterapeuta é um dos profissionais que podem identificar essas alterações através de uma avaliação postural individualizada.

A maioria das alterações decorrem de problemas nos pés, a forma como a pessoa apoia o pé no solo ao caminhar. Uma maneira simples de identificar essas alterações é observar solas dos sapatos ou tênis para verificar se há locais mais gastos que outros, que revelam sobrecarga de peso em determinados pontos. Alterações na postura dos pés podem ocasionar problemas na coluna, no quadril, dores no joelho. Nem sempre o local da dor é aonde esta o problema, por isso a importância de avaliar todo o corpo e observar todas as alterações posturais.

Principais alterações posturais

Hiperlordose

É o aumento anormal da curva lombar levando a uma acentuação da lordose lombar normal. Os músculos abdominais fracos e um abdome protuberante são fatores de risco. A flexão do tronco usualmente alivia a a dor, de modo que a pessoa frequentemente prefere sentar ou deitar.

Hipercifose

É o aumento anormal da concavidade posterior da coluna vertebral, sendo as causas mais importantes dessa deformidade, a má postura e o condicionamento físico insuficiente. Doenças como espondilite anquilosante e a osteoporose senil também ocasionam esse tipo de deformidade.

Escoliose

É a curvatura lateral da coluna vertebral, podendo ser estrutural ou não estrutural. A progressão da curvatura na escoliose depende, em grande parte, da idade que ela inicia e da magnitude do ângulo da curvatura durante o período de crescimento na adolescência, período este onde a progressão do aumento da curvatura ocorre numa velocidade maior. O tratamento fisioterápico usando alongamentos e respiração são essenciais para a melhora do quadro.

Todas essas posturas podem ocasionar problemas na mecânica respiratória, compressão do pulmão, diminuição do volume pulmonar, obstrução das vias aéreas levando à alterações respiratórias  e isso em longo prazo pode ter conseqüências perigosas.

Joelhos em Varo ou em Valgo

VALGO: Consiste na aproximação dos joelhos e no afastamento dos pés. O indivíduo apresenta adução e rotação medial do fêmur, associadas ao excesso de rotação da tíbia. Caso o problema seja bilateral, os membros inferiores apresentam uma forma típica em X.

VARO: consiste no arqueamento das pernas, promovendo a projeção dos joelhos para fora da linha média do corpo, o que caracteriza um afastamento dos joelhos. O indivíduo apresenta abdução do fêmur e o excesso de rotação da tíbia.

Tipos de pés e pisadas

PLANO: pouca curvatura no arco plantar e deixam uma pegada quase completa no chão.
NORMAIS: arco plantar normal e deixam uma pegada com uma ligação visível entre o calcanhar e a parte frontal.
CAVOS: curvatura acentuada no arco plantar e deixam uma pegada com uma tênue conexão entre o calcanhar e a parte frontal.

PISADA PRONADA:  As pessoas  pisam com o pé apoiado para dentro, forçando o dedão e o calcanhar. É um tipo de pisada comum entre pessoas com pé chato. Provoca um desgaste maior na parte de dentro da sola dos calçados.

PISADA SUPINADA: A sola do sapato ou tênis gasta mais na parte externa. Este tipo de pisada provoca um maior contato da parte de fora dos pés no chão. Comum em pessoa com pé cavo.

.: Hérnias de disco, Espondilolistese, Bicos de papagaio, Dores musculares, DORT (Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho) também são ocasionados por desvios posturais.

Cuidados com a postura

Se preocupar com a postura é uma atitude que promove a saúde, mantém o bem-estar e ajuda a combater muitas lesões posturais.

Quando ficar de pé é importante permanecer com a barriga rígida e ter a impressão que se tem um “ganchinho” no teto suspendendo a cabeça para o alto mantendo o queixo afastado do peito, os joelhos semi fletidos (levemente).

A posição sentada é a posição mais freqüentemente adotada pela maioria das pessoas nas atividades profissionais, domésticas e no lazer. Desta forma, é importante considerar a maneira como ficamos sentados, que tipo de cadeiras utilizamos e o que podemos fazer para prevenir.

No computador:

Em diversas atividades do dia-a-dia:

Ao deitar-se:

Ao dirigir:

Alongamento, Exercícios físicos, Pilates, RPG ajudam na melhor postura e no tratamento de distúrbios já instalados.

Na jornada de trabalho é muito importante párar uns minutinhos e alongar-se, caminhar e sempre estar atento a correção da postura.

DICA: Olhe-se no espelho ou procure um fisioterapeuta para conhecer o seu corpo e os seus desvios. Anote a sua postura correta e coloque em algum lugar visível para sempre lembrar. Assim você pode prevenir e até diminuir problemas relacionados a má postura!!!

Abraços!!

Hérnia de Disco

Definição

A coluna vertebral é composta por vértebras, em cujo interior existe um canal por onde passa a medula espinhal ou nervosa. Entre as vértebras cervicais, torácicas e lombares, estão os discos intervertebrais, estruturas em forma de anel, constituídas por tecido cartilaginoso e elástico cuja função é evitar o atrito entre uma vértebra e outra e amortecer o impacto.

Os discos intervertebrais desgastam-se com o tempo e o uso repetitivo, o que facilita a formação de hérnias de disco, ou seja, a extrusão de massa discal que se projeta para o canal medular através de uma ruptura da parede do anel fibroso. O problema é mais freqüente nas regiões lombar e cervical, por serem áreas mais expostas ao movimento e que suportam mais carga.

Causas

Fatores genéticos têm um papel muito mais forte na degeneração do disco do que se suspeitava anteriormente.

Sofrer exposição à vibração por longo prazo combinada com levantamento de peso.

Cargas compressivas repetitivas colocam a coluna em uma condição pior para sustentar cargas mais altas aplicadas diretamente após a exposição à vibração por longo período de tempo, tal como dirigir diversas horas.

Entre fatores ocupacionais associados a um risco aumentado de dor lombar estão:

  • Trabalho físico pesado
  • Postura de trabalho estática
  • Inclinar e girar o tronco freqüentemente
  • Levantar, empurrar e puxar
  • Trabalho repetitivo
  • Vibrações
  • Psicológicos e psicossociais

Tipos de Hérnia

  • Protrusas: quando a base de implantação sobre o disco de origem é mais larga que qualquer outro diâmetro.
  • Extrusas: quando a base de implantação sobre o disco de origem é menor que algum dos seus outros diâmetros ou quando houver perda no contato do fragmento com o disco.
  • Seqüestradas: quando um fragmento migra dentro do canal, para cima, para baixo ou para o interior do forâmen.

Sintomas

Parestesias (formigamento) com ou sem dor na coluna, geralmente com irradiação para membros inferiores ou superiores, podendo também afetar somente as extremidade (pés ou mãos). Esses sintomas podem variar dependendo do local acometido.

Quando a hérnia está localizada no nível da cervical, pode haver dor no pescoço, ombros, na escápula, braços ou no tórax, associada a uma diminuição da sensibilidade ou de fraqueza no braço ou nos dedos.
Na região torácica elas são mais raras devido a pouca mobilidade dessa região da coluna,  mas quando ocorrem os sintomas tendem a ser inespecífico. Pode haver dor na parte superior ou inferior das costas, dor abdominal ou dor nas pernas, associada à fraqueza e diminuição da sensibilidade em uma ou ambas as pernas.

A maioria das pessoas com hérnia de disco lombar relatam uma dor forte atrás da perna e segue irradiando por todo o trajeto do nervo ciático. Além disso, pode ocorrer diminuição da sensibilidade, formigamento ou fraqueza muscular nas nádegas ou na perna do mesmo lado da dor.

Tratamento

Medicamentos, repouso nas crises, orientação postural, fisioterapia e alongamento muscular. A pessoa também pode utilizar uma cinta, que ajuda a imobilizar e dá conforto, ou recorrer à acupuntura. Entretanto, quando esses tratamentos se mostram ineficazes, o paciente passa por uma cirurgia. Algumas pessoas podem até se curar sem nada, mas esse processo pode durar muito tempo.

Cirurgia nos casos graves

Os métodos cirúrgicos evoluíram muito e procedimentos minimamente invasivos apresentam bons resultados. Há equipamentos muito modernos, como microcóspios e até navegadores computadorizados que dão o local exato da intervenção, com o mínimo de riscos para a pessoa. A cirurgia é simples e em 2 ou 3 dias a pessoa já está andando novamente.

Tratamento Fisioterapêutico

Fisioterapia Manual, mesa de tração eletrônica, mesa de descompressão dinâmica. Estabilização Vertebral e Exercícios de Musculação. Esse tratamento visa melhorar o grau de mobilidade músculo-articular, diminuir a compressão no complexo disco vértebras e facetas, dando espaço para nervos e gânglios, fortalecer os músculos profundos e posturais da coluna vertebral através de exercícios terapêuticos específicos enfatizando o controle intersegmentar da coluna lombar, cervical, quadril e ombro.

Como prevenir

Preste atenção à postura!! Não carregue peso de maneira errada. Além disso, as atividades físicas de baixo impacto — alongamento e fortalecimento da musculatura, tanto abdominal, quanto posterior da coluna são as mais indicadas. São atividades que estabilizam a coluna e reduzem a força para frente ou para trás. Hidroginástica, caminhadas, esteiras com velocidade lenta, exercícios localizados com pouco peso e alongamentos.


Referências, acesso em 06 de Maio de 2010.

http://www.herniadedisco.com.br/doencas-da-coluna/hernia-de-disco

http://www.ortopediaesaude.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=30&Itemid=51

http://www.drauziovarella.com.br/Sintomas/4811/hernia-de-disco